Psicóloga (10) X Cazuza (0)

Recebi esse texto de uma amiga, e como sempre gostei do Cazuza, li achando que não ia gostar...

Não convido ninguem a odiar o Cazuza e nem eu o faço.
Vou continuar gostando do artista como sempre gostei, com belas letras e músicas incríveis.

Mas dá para refletir... e rever nossos conceitos!



Esta mensagem precisa ser retransmitida para todas as FAMÍLIAS!
Uma psicóloga que assistiu o filme Cazuza escreveu o seguinte texto:



'Fui ver o filme Cazuza há alguns dias e me deparei com uma coisa estarrecedora.

As pessoas estão cultivando ídolos errados.. Como podemos cultivar um ídolo como Cazuza?


Concordo que suas letras são muito tocantes, mas reverenciar um marginal como ele, é, no mínimo, inadmissível. Marginal, sim, pois Cazuza foi uma pessoa que viveu à margem da sociedade, pelo menos uma sociedade que tentamos construir (ao menos eu) com conceitos de certo e errado.

No filme, vi um rapaz mimado, filhinho de papai que nunca precisou trabalhar para conseguir nada, já tinha tudo nas mãos.

A mãe vivia para satisfazer as suas vontades e loucuras.

O pai preferiu se afastar das suas responsabilidades e deixou a vida correr solta. São esses pais que devemos ter como exemplo?

Cazuza só começou a gravar pois o pai era diretor de uma grande gravadora. Existem vários talentos que não são revelados por falta de oportunidade ou por não terem algum conhecido importante.

Cazuza era um traficante, como sua mãe revela no livro, admitiu que ele trouxe drogas da Inglaterra, um verdadeiro criminoso. Concordo com o juiz Siro Darlan quando ele diz que a única diferença entre Cazuza e Fernandinho Beira-Mar é que um nasceu na zona sul e outro não.

Fiquei horrorizada com o culto que fizeram a esse rapaz, principalmente por minha filha adolescente ter visto o filme. Precisei conversar muito para que ela não começasse a pensar que usar drogas, participar de bacanais, beber até cair e outras coisas fossem certas, já que foi isso que o filme mostrou.

Por que não são feitos filmes de pessoas realmente importantes que tenham algo de bom para essa juventude já tão transviada?


Será que ser correto não dá Ibope, não rende bilheteria? Como ensina o comercial da Fiat, precisamos rever nossos conceitos, só assim teremos um mundo melhor.


Devo lembrar aos pais que a morte de Cazuza foi consequência da educação errônea a que foi submetido .. Será que Cazuza teria morrido do mesmo jeito se tivesse tido pais que dissesem NÃO quando necessário?


Lembrem-se, dizer NÃO é a prova mais difícil de amor.


Não deixem seus filhos à revelia para que não precisem se arrepender mais tarde. A principal função dos pais é educar. Não se preocupem em ser 'amigo' de seus filhos.


Eduque-os e mais tarde eles verão que você foi a pessoa que mais os amou e foi, é, e sempre será, o seu melhor amigo, pois amigo não diz SIM sempre.'


Karla Christine Psicóloga Clínica

Leu ?

Concorda com a psicóloga?

Então faça sua parte divulgue.

7 comentários:

planetadablogueira.com disse...

Também gostava do Cazuza (como cantor) algumas músicas fizeram parte da minha adolescencia, eu adorava "Ideologia", e penso comigo que ele precisava realmente de um idela para viver, pois uma vida regada a drogas, sexo e sem regras não deve ter um ideal a seguir.
Pra quem já nasce tendo tudo de mão beijada, e não precisa batalhar, fica fácil viver uma vida fútil e cheia de prazeres carnais...
Talvez ele tivesse precisado de um apoio espiritual e não teve, ficou perdido em meio aos prazeres que na verdade na minha opinião foi oque realmente O matou.
Adorei o post!! Beijão

Mauro S disse...

Muita gente, filhos, se perdem pela falta de autoridade dos pais, nas simples coisas que posso ver, e acham bonitinhos, e cadê a educação?
Lindo teu blog e posts, beijos, Mauro

Mauro S disse...

Tenho três discos de vinil do Cazuza, acho que todos gostaram de suas músicas, como acho que a educação dada por pais aos seus filhos deve ser revista, nada de achar bonitinho e deixar rolar bagunça, depois acabam como acabaram, pena para a música e para outros rebeldes que escolhem falsos ídolos para seguir.

Beijos.

aline disse...

ah, tenha dó né "Precisei conversar muito para que ela não começasse a pensar que usar drogas, participar de bacanais, beber até cair e outras coisas fossem certas, já que foi isso que o filme mostrou." se essas coisas que o filme fez uma RETRATAÇÃO fossem erradas, ele não teria morrido de Aids não é? Olha, me desculpe, mas se a filha da psicóloga não sabe distinguir o certo do erado, isso é preocupante, eu tenho 17 anos, e sou muuuuito fã do Cazuza, eu o adoro em muitos sentidos. Mas consigo separar muito bem as coisas, desde a puberdade (e olha q sou fã dele e do Barão desde a infância)então, acorda né gente!! (e não ofendam a mãe dele, pq a invés disso não alam do maravilhoso trabalho dela?) abs

aline disse...

então Lydia, aprove meu comentário, as pessoas devem saber duas faces da mesma história.

aline disse...

O filme tenta mostrar a vida do Cazuza de acordo com o livro escrito pela sua mãe, portanto já não é desde o princípio imparcial.

De qualquer maneira, Cazuza está sendo valorizado pela sua OBRA e não pela sua PESSOA.

agora compará-lo com o Beira-Mar?
gente, que horror!
e a poesia, e a Coragem de dizer as coisas q ele dizia depois de tantos anos de dura ditadura?

(tomara q a filha dela não saia assistindo nenhum filme de Hannibal pra não sair comendo a orelha de ninguém
é por aí...
enquanto o Cazuza for considerado tão perigoso qaunto o Beira-mar, eu não sei onde meu país vai parar..

obrigada
bjs

Lydia disse...

Como disse no começo da postagem :

"Não convido ninguem a odiar o Cazuza e nem eu o faço.
Vou continuar gostando do artista como sempre gostei, com belas letras e músicas incríveis "

Aline, obrigada por sua opinião, com certeza enriqueceu meu blog e esta postagem em especial.
Abraços. Lydia.

Postar um comentário

 
Template by Vanda